Nasce na Coreia, mas dá ares americanizados. É uma das mais recentes pick-up do mercado nacional e sob o capot traz um bloco Diesel de 2,0 litros com 141 cv. Existe apenas com tracção integral.

 

A SsangYong está a renascer e tem-nos apresentado diversos novos modelos. Aqui trazem uma pick–up baseada no, também recente, SUV da casa, o Actyon. A secção dianteira respeita, de resto, os traços controversos deste seu “irmão” mas se na variante SUV estes acabam por ser pouco harmoniosos. Já na pick up garantem uns ares de graça, pela sugestão às famosas, e arredondadas, pick up americanas. A Actyon Sports apresenta-se assim como uma das pick up mais singulares do mercado e revela virtudes capazes de garantir algum público. É que se, de um modo geral, para não dizer universal, as pick up apresentam um habitáculo que não esconde a génese de veículo de trabalho, com abundância de plásticos rijos, a Actyon Sports brinda os passageiros com um “salão” aprumado, mais parecendo um convencional SUV. O desenho é algo antiquado e até excessivamente sóbrio, porém o tablier e as portas geram uma boa atmosfera, pela qualidade dos revestimentos, que são suaves ao toque. Neste nível Limited, o mais elevado, há ainda o bónus das diversas aplicações em pele e dos estofos também em pele. Os bancos têm um desenho desportivo e são envolventes, mas o índice de conforto não é uma das suas qualidades. A suspensão é muito branda, e os amortecedores não cumprem o seu papel de forma eficiente. Os movimentos da carroçaria tornam-se exagerados, incómodos e a direcção contribui para a falta de rigor dinâmico geral, tornando a frente imprecisa. Algo que também impede maior harmonia é o facto do ABS ser ansioso, actuando por vezes sem se entender o porquê de tal inquietação.


O motor é pouco solícito até às 2000 rpm, e não é um poço de energia, mas depois desta etapa não desaponta na genica, acusando apenas alguma gula, também como consequência da caixa ter apenas cinco velocidades. Fora de estrada, a Actyon Sports sente-se inibida por trazer pneus de estrada. A engrenagem das quatro rodas motrizes, ou das reductoras, é feita através de um comando eléctrico situado na consola, mas aventuras radicais ficam limitadas pela vocação dos pneus.

Quando chega às portagens paga classe 2.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes